Dual track design: a união entre design e desenvolvimento

Uma boa equipe de design é responsável pela maior parte do sucesso de um projeto, e o contrário também é válido: uma equipe que não trabalha em sincronia, não tem uma comunicação clara e objetivos alinhados pode transformar todo o trabalho em um produto final desastroso.

Quem coordena uma equipe de design sabe que um dos maiores desafios é fazer com que a equipe trabalhe de forma integrada e entregue o produto final proposto com qualidade. Fazer com que a equipe de desenvolvimento e a equipe de design trabalhem em conjunto pode ser uma tarefa árdua.

Cada equipe tem uma forma de trabalhar,  seu próprio vocabulário,  seu tempo de execução de tarefa, suas particularidades e, por isso,  integrar duas equipes que têm o mesmo objetivo final, mas diferentes pontos de vista  pode demandar muito trabalho do Coordenador do projeto. Para facilitar o trabalho de equipes tão diferentes,  como de desenvolvimento e a de design, diversas ferramentas estratégias  podem  ser utilizadas pelo coordenador das equipes, como a dual track design.

A estratégia do dual track design propõe que dois fluxos de trabalho distintos sejam vistos de forma paralela,  pois embora sejam diferentes têm o mesmo objetivo final. Esse termo,  cuja tradução quer dizer duas faixas,  ilustra bem o processo de desenvolvimento de um produto, onde as duas faixas devem se conversar mesmo que atuem de forma paralela simultaneamente.

Como funciona o dual track design na prática

Na prática, o dual track design funciona da seguinte forma:

  • Foco na engenharia

O foco é na forma como o produto é entregue, com qualidade e previsibilidade, melhorando muito o tempo de entrega do produto final. Nesse ponto se fala muito sobre o desenvolvimento ágil e sobre a velocidade de desenvolvimento. Aqui também é comum que os desenvolvedores falem sobre o “software potencialmente entregável” que é o projeto que não foi totalmente finalizado, mas que já pode ser entregue com confiança e qualidade.

  • Foco também na descoberta e aprendizado

Ao invés de apenas entregar o software, com o dual track design há também um aprendizado sobre como ele irá funcionar e quais problemas irá resolver. Nessa etapa é aplicável algum tipo de teste, ou até mesmo mais de um tipo de teste, para validar ideias e soluções. Dessa forma, o aprendizado se torna rápido, seguro e mais barato, podendo ser aplicado em todo o processo de desenvolvimento. Nesse ponto é importante ter em mente que as ideias são normalmente descartadas para que ideias melhores possam ser aplicadas e que o processo de aprendizagem deve ser rápido, organizado em sprints de uma a duas semanas.

  • As coisas acontecem de forma simultânea

A tradução de “dual track” é justamente duas faixas, que mesmo atuando de forma paralela, estão contribuindo de forma simultânea para um mesmo projeto. É importante ter em mente que os processos de desenvolvimento dentro das equipes estão acontecendo ao mesmo tempo, assim é necessário pretar atenção em vários processos. O trabalho de desenvolvimento e de aprendizagem acontece de forma simultânea, e mudar uma ideia no decorrer do projeto não significa que a equipe esteja errada, mas sim em processo de aprendizagem.

Embora diferenças sejam notadas, a equipe começa a perceber uma melhora nos processos de execução, percebe também uma melhor qualidade do produto final, que é projetado, pensado e modificado durante toda a etapa de desenvolvimento, e não só no planejamento. Com as duas equipes trabalhando em sinergia, os sprints podem ser além de indispensáveis para o desenvolvimento uma ótima forma de aprendizado da equipe.

Como a estratégia pode mudar o trabalho dos designers?

O dual track traz diversas mudanças significativas para o dia a dia do designer, sendo que as duas mudanças principais e mais observadas por eles são:

  • A cada sprint durante o processo de desenvolvimento o produto final já está sendo testado (o protótipo), e não apenas um rascunho ou maquete do que será entregue para o cliente. Assim é possível ter uma visão maior acerca do que deve ser corrigido e o que já está funcionando.
  • O designer está trabalhando pequenas melhorias aceitáveis dentro do projeto, e não grandes mudanças que possam modificar completamente o projeto inicial. O produto final passa a ser dividido em sprints, sendo possível visualizar os pequenos detalhes e melhorias que estão sendo (ou precisam) ser feitas.

Quem lidera o dual track?

Não há uma equipe responsável por liderar o dual track. Quando a equipe de desenvolvimento e de design se unem para elaboração de um projeto, elas estão trabalhando uma cultura colaborativa, onde a interface do produto ocupa o local de liderança. Os designers transmitem para os desenvolvedores quais as principais necessidades do cliente alvo, melhorando a interface do produto e o resultado final.

É importante que o dual track seja visto como um método capaz de agilizar o processo de produção e de aprendizagem entre as equipes, fazendo com que os processos de desenvolvimento e design possam atuar de forma colaborativa, avançando juntamente, pois não trata-se de duas equipes distintas, mas sim de dois grupos que têm o mesmo objetivo final: entregar um produto de qualidade e que satisfaça as necessidades do cliente.

Pensando em começar um projeto de design? Conheça o trabalho da Homem Máquina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar ×
Precisa de ajuda com seu site, sistema ou aplicativo?
Nós ajudamos negócios de todos os tamanhos com design, tecnologia e estratégia digital
Conheça melhor a Homem Máquina