Design de interfaces: o que são protótipos?

Entre uma ideia e um produto de sucesso existe muito esforço, planejamento, imprevistos e mudanças. Diferente de um produto físico, onde seu valor é tangível é aparente, produtos digitais têm seu valor em fluxos e experiências. Mas como demonstrar esse tipo de valor sem ter um produto finalizado?

Entra em cena a prototipagem, uma abordagem ao design de interfaces onde são simulados (mockados) o estado futuro de um sistema, fluxo ou experiência (em sites e apps) para validação por usuários, equipe, investidores e designers.

Prototipagem rápida 

Prototipagem rápida, nesse contexto, significa simular e receber feedback em etapas iniciais do projeto – dessa forma, os insights para mudança são encontrados antes do desenvolvimento, eliminando incertezas e reduzindo custo. É um ciclo de três etapas que deve se repetir até a obtenção de resultados sólidos e consenso entre a equipe.

  • Prototipar – conversão de feedbacks e alternativas em mockups, já adequando-os aos bons padrões de experiência de usuários (design);
  • Revisar – botar o protótipo para ser testado por usuários e avaliar se está atingindo expectativas e resolvendo problemas;
  • Refinar – baseado em feedback, identificar áreas que precisam ser melhor resolvidas.

Tipos de protótipo e fidelidade

Protótipos podem ser desenhos de telas em papel, wireframes, telas com dados reais ou até protótipos navegáveis, com possibilidade de interação e navegação bem parecidas com o produto final. A decisão de que tipo de protótipo escolher depende do que será avaliado em determinado contexto de uso.

É importante lembrar que protótipos são um processo e não o fim. Múltiplos fatores afetam o nível de fidelidade ideal do protótipo, como:

  • Tempo e orçamento do projeto – menos recursos trazem a necessidade de prototipagem mais rápida;
  • Conhecimento técnico dos usuários – quando usuários que vão testar não têm nativos digitais ou podem não conseguir abstrair informações, protótipos precisam ter mais paralelo com produtos finais;
  • Conflitos de interesse – quando a mesma pessoa que faz o protótipo é quem vai desenvolver, pode surgir um olhar enviesado
  • Design responsivo – aqui, protótipos de baixa fidelidade muitas vezes não simulam como uma solução se adapta a diferentes cenários.

Dicas rápidas para prototipar

Nosso conselho é sempre priorizar protótipos no papel, os que sejam mais simples, desde que a hipótese a ser testada permita. Separamos algumas dicas para ajudar na sua prototipagem.

Use papel, caneta e lápis baratos

O que deve brilhar em um protótipo são as ideias e a forma que são colocadas. Não é algo que deve ser bonito ou feio, apenas testável. Não pense que você precisa de uma caneta especial ou caderno para que as coisas funcionem.

Não fique preso

Comece o processo exercitando a criatividade. Esboce ideias rapidamente na medida em que elas vão surgindo, selecione as válidas e fortaleça as alternativas escolhidas.

Mobile first

O espaço limitado nas telas mobile faz com que priorizemos conteúdo. Criar nesse formato facilitará a transposição das ideias para outras resoluções.

Metodologias

Vale lembrar que protótipos podem ser muito melhor aproveitados quando unidos a metodologias de design ou desenvolvimento, como design thinking – sendo uma das cinco fases desse método, onde é a ferramenta escolhida para validação de ideias. 

Precisa de ajuda para validar uma ideia e criar experiências que funcionam? Mande uma mensagem para nosso time – tudo começa com uma ideia no papel 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar ×
Precisa de ajuda com seu site, sistema ou aplicativo?
Nós ajudamos negócios de todos os tamanhos com design, tecnologia e estratégia digital
Conheça melhor a Homem Máquina