OKR: Saiba como definir as métricas de um projeto

Já ouviu falar em OKR? É uma metodologia interessante para quantificar como seu projeto está indo. A sigla OKR significa objective and key results, que pode ser entendido como “objetivo e resultados-chave” para um determinado projeto. Um dos fatores que mais chama a atenção sobre o OKR é sua simplicidade e eficiência.

Fazendo uso de KPIs e outras métricas quantitativas, é possível definir alguns pontos-chave dos projetos executados, independentemente se são da área de vendas, marketing ou design. Existe uma empresa que faz uso constante dos OKRs: o Google. Esse método é empregado por lá desde 1999, quando ainda possuía apenas 40 colaboradores. E mesmo agora, contando com 60 mil funcionários, eles ainda utilizam essa metodologia.

Ficou interessado? Vamos explorar ainda mais o tema.

O que é OKR?

Avançando um pouco mais em nossa explicação, o OKR é um indicador de sucesso de uma determinada empreitada. Ele funciona de uma forma precisa e sutil: por meio de resultados-chave (KR), é possível saber se a sua estratégia vai bem ou não.

Em suma, o OKR consiste em três partes, mas a terceira acaba sendo deixada de lado por ser determinada entre os membros da equipe. De qualquer forma, colocaremos ela em nossa lista por questão de completeza:

    1. Objetivos ambiciosos.
    2. Resultados que devem ser alcançados ao longo do projeto.
    3. Ações que a equipe deve tomar no decorrer da execução.

Vamos mais uma vez falar do Google, agora focando em como eles utilizam o OKR por lá. Na gigante do mundo tecnológico, os objetivos devem ser ambiciosos a ponto de incomodar. Isso tira os colaboradores da zona de conforto e faz com que deem seu melhor para alcançar os resultados.

Photo by Patrick Perkins on Unsplash

No Google, cada resultado alcançado recebe uma nota que varia de 0 até 1.0. Porém, se a equipe estiver atingindo 1.0 com frequência, o objetivo é tido como pouco ambicioso e deve ser reformulado. Os gestores gostam de notas entre 0.6 e 0.7, pois são as mais produtivas e inovadoras.

Por fim, algo muito importante de ser notado é que a metodologia OKR não tem relação com medir o valor dos colaboradores. De fato, ela se preocupa em cuidar dos objetivos da empresa como um todo, não do desempenho individual.

Vamos agora deixar a teoria de lado e colocar a mão na massa.

Exemplos de OKR para UX design de produto

Veja dois exemplos de OKR tipicamente encontrados em projetos de UX design. Um deles diz respeito ao público-alvo, dado sua importância em projetos desse tipo; o outro auxilia no aperfeiçoamento do design em si.

Conhecendo seu público-alvo

  • Objetivo: Conhecer seu público-alvo em detalhes
    • KR1: Conhecer a distribuição de gênero de seu público-alvo em uma amostra de 10.000 pessoas
    • KR2: Determinar a faixa salarial de seus consumidores em uma amostra de 10.000
    • KR3: Realizar quizzes por e-mail buscando coletar informações estratégicas em uma amostra de 10.000

Observe a sutileza do método: ao alcançar o primeiro resultado-chave, é possível saber a forma correta para abordar seus usuários/consumidores com baixíssima chance de rejeição.

Já ao alcançar o segundo resultado-chave, temos mais uma informação valiosa em mãos: agora sabemos o valor considerado justo a ser cobrado pelo produto que estamos desenvolvendo. Essa informação é extremamente importante para diminuir a rejeição de seu produto pelo público-alvo.

Por fim, por meio de quizzes descontraídos e informais, é possível coletar algumas informações interessantes acerca de seu público-alvo. Qual é a cor favorita dos entrevistados? Preferem cães ou gatos? Que tipo de música escutam? Tudo isso pode ser incrementado no design do produto.

Ao fim destes resultados-chave, o objetivo será alcançado: sua equipe saberá muitos detalhes interessantes sobre o público-alvo do produto, podendo transformar esse conhecimento em vantagem competitiva com facilidade.

Alcançar o design perfeito

  • Objetivo: Tornar o design do produto perfeito
    • KR1: Analisar 100 feedbacks vindos de clientes por mês
    • KR2: Atualizar o design do produto 2 vezes por mês
    • KR3: Comparar métricas de aceitação/rejeição com designs antigos e com concorrentes

os exemplos apresentados anteriormente, vemos que os KRs são estabelecidos de forma quantitativa, ou seja, eles têm um apelo para valores determinados e de importância estratégica para o objetivo final. De fato, coletar informações de 10.000 pessoas ajudará no entendimento do público-alvo; da mesma forma, 2 atualizações de grande porte por mês no design do produto vão torná-lo cada vez mais perfeito aos olhos dos consumidores, principalmente se forem atualizações com base em dados.

Conclusão

Neste post explicamos o que é OKR, que nada mais é do que estabelecer resultados-chave visando um objetivo maior. Além disso, vimos 2 exemplos de aplicação do OKR em UX design de produtos, um visando o aperfeiçoamento do produto e outro seu público-alvo.

Sabemos que metodologias como esta são desafiadoras quando não se tem experiência em aplicá-las. Se estiver com dificuldade neste quesito, conte com a gente para te ajudar. Temos um time nessa área pronto para te atender.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar ×
Precisa de ajuda com seu site, sistema ou aplicativo?
Nós ajudamos negócios de todos os tamanhos com design, tecnologia e estratégia digital
Conheça melhor a Homem Máquina