Onboarding em aplicativos móveis

Há alguns anos, os aplicativos de celular ofereciam apenas meios de diversão, como redes sociais e jogos, contudo, o avanço tecnológico hoje permite que absolutamente tudo seja feito através de aplicativos para smartphones. Desde compras no supermercado a encomendas, muitos aplicativos surgiram para satisfazer a demanda de usuários de aplicativos móveis.

Porém, apenas oferecer os serviços para o cliente por aplicativo não é suficiente para que ele continue ali, instalado no celular e sendo utilizado. Neste cenário, surgiu o onboarding, uma ferramenta essencial para aumentar a probabilidade de que os novos usuários do aplicativo móvel adotem o uso do produto de maneira bem sucedida.

Em outras palavras, o user onboarding é um conjunto de ações e processos que tem objetivo de aumentar a percepção do usuário quanto ao valor do aplicativo móvel, desde o primeiro contato dele com o produto, impulsionando assim a probabilidade de sucesso.

Os benefícios de aplicar o onboarding em produtos digitais

  • Retenção: um dos fatores determinantes do uso de um aplicativo após o download é a qualidade do processo de integração. Se configurado corretamente, é possível aumentar significativamente a probabilidade de os usuários permanecerem no aplicativo, garantindo assim a retenção do usuário.
  • Fidelização: quando o usuário reconhece o valor do aplicativo ele tende a ser fiel, dando preferência a usá-lo. Para que isto ocorra é necessário criar um espaço dentro do aplicativo em que o usuário sinta que toda a forma como o aplicativo está configurado atende às suas necessidades.

Melhores práticas de onboarding de novos usuários

Onboarding rápido: é importante que a integração do usuário ao aplicativo não demore muito tempo após o início do uso. Uma pesquisa realizada demonstrou que 72% dos entrevistados dão importância para a conclusão do processo de onboarding em menos de um minuto. Baseado nisso, é preferível que a integração do usuário não se torne uma coisa muito complicada ou ensaiada. O onboarding deve ser curto e ir direto ao ponto.

Opção de pular o onboarding: há uma quantidade considerável de usuários que preferem aprender a utilizar o aplicativo por conta própria, utilizando o método de tentativa e erro. Assim, não deve-se impedir que isto possa ser feito, permitindo que, caso seja da vontade do usuário, ele consiga pular o onboarding em qualquer etapa.

Demonstração de tudo que pode ser feito: é importante destacar tudo o que o usuário pode fazer no aplicativo, focando no usuário e não no produto. Dessa forma, deve-se ter cautela quanto a linguagem utilizada durante o onboarding, pois esta tem papel crucial na percepção do usuário no subconsciente em relação ao aplicativo.

Enfatização do valor do produto: o onboarding é uma forma de dar as boas-vindas ao usuário e de que ele conheça o aplicativo. Assim, deve-se mostrar a proposta de valor do aplicativo e que os usuários podem realizá-la, por meio da persuasão de novos usuários para que eles explorem todo o aplicativo.

Implementação do onboarding

Definir os objetivos: é importante ter definido os objetivos de um onboarding antes de desenvolvê-lo melhor. Para isso, a base dos objetivos deve ser  utilizar mecanismos capazes de tornar o usuário mais ativo e retido ao aplicativo por mais tempo, e sobre estes mecanismos desenvolver os demais objetivos, focando em trazer o usuário sempre de volta.

Cenários: depois de definido os objetivos, é preciso pensar em todos os cenários que o novo usuário pode se encontrar durante o fluxo de onboarding. Estes cenários precisam fornecer um bom fluxo de onboarding para que o usuário não se sinta perdido dentro do produto. Quanto mais situações de onboarding o aplicativo tiver, mais minucioso será o estudo com foco em fornecer uma primeira impressão agradável.

Criar telas: neste momento deve-se criar o protótipo do fluxo de user onboarding visando atingir as necessidades dos diversos cenários que foram criados, o objetivo aqui é alinhar e resolver todos os pontos que o onboarding tem, sendo possível a integração de novos cenários que ainda não haviam sido considerados.

Testar: nesta etapa poderão ocorrer as maiores mudanças no onboarding, visto que o teste do fluxo de onboarding é a melhor estratégia para identificar novos cenários e resolver as lacunas existentes. Por meio de atribuições simples, é possível identificar a real funcionalidade do onboarding e destacar as mudanças necessárias. Os testes serão um processo interativo, de constante aprimoramento, por isso, nesta etapa deve-se continuar testando e melhorando o produto.

Conclusão

O processo de onboarding não deve ser negligenciado, visto que ele pode ser um grande diferencial no sucesso de um aplicativo. Ele deve se iniciar a partir dos objetivos almejados e do valor que os usuários irão obter do aplicativo, além dos recursos oferecidos que serão diferenciais competitivos.

Precisando de ajuda com o seu projeto? Fala com a Homem Máquina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar ×
Precisa de ajuda com seu site, sistema ou aplicativo?
Nós ajudamos negócios de todos os tamanhos com design, tecnologia e estratégia digital
Conheça melhor a Homem Máquina