O seu site é realmente inclusivo?

Você já parou para pensar no que é a acessibilidade? É muito comum usarmos o termo acessível para diversas situações do dia, mas será que realmente sabemos o que é tornar algo acessível? Seja um site, um design ou um produto, a acessibilidade é hoje um dos itens que devem esta presentes em seu projeto.

A acessibilidade pode ser definida como uma forma de possibilitar que qualquer pessoa acesse um serviço, produto ou informação sem a necessidade de pedir auxílio. Por exemplo, tornar um site acessível é fazer com que ele tenha uma interface para que qualquer pessoa possa utilizá-lo sem problemas.

Embora atualmente se fale muito de acessibilidade, uma pesquisa mostrou que menos de 1% dos sites brasileiros são realmente acessíveis. Muitas vezes, ao desenvolver o site, a usabilidade e acessibilidade não são levadas em conta, ou então não são devidamente exploradas, e o site não se torna realmente inclusivo.

Mas afinal, por que deixar um site mais acessível?

Podemos citar vários motivos para tornar o seu site acessível, como:

  • A acessibilidade é um item obrigatório para o desenvolvimento de um site! De acordo com a Lei da Inclusão, qualquer site de empresas brasileiras ou com sede no Brasil devem ser acessíveis;
  • Há um aumento de resultados positivos para seu site! Além de ter um aumento de resultados, com um site acessível você também possivelmente terá uma menor taxa de rejeição, o que melhora e muito o rankeamento de seu site nos resultados de busca.
  • Quanto mais inclusivo, maior o rankeamento de seu site! O Google também leva isso em conta.

Existem hoje diversas formas de se tornar um site mais acessível, com técnicas de UX design e UI design.

Para quem a acessibilidade é voltada?

A acessibilidade de um site não é voltada somente para pessoas com algum tipo de deficiência. Existem diversos grupos que também precisam de maior acessibilidade em sites, mas para isso é preciso entender quem são eles.

  • Pessoas com limitações temporárias ou permanentes, como cegueira, dificuldade para uso de mouse, perda de audição e similares. Nesses casos, a usabilidade de um site e a acessibilidade do mesmo faz toda a diferença para que a pessoa possa navegar no site de forma autônoma e sem problemas.
  • Pessoas com limitações decorrentes de situações, como pessoas estrangeiras lidando com sites brasileiros, pacote de internet limitado, faturas temporárias. Nesses casos, embora a situação de limitação seja pontual e possivelmente reversível, é importante que seu site esteja adaptado, como por exemplo adaptado para o consumo de uma menor quantidade de internet.
  • Pessoas com limitações de leitura, seja por não conseguir ler, por ser criança ou ter alguma limitação cognitiva ou neuronal. Nesse caso, é importante pensar em formas de deixar seu site não só mais inclusivo mas também com maior facilidade de uso, para que a pessoa sinta que aquele site também pode ser usado por ela de forma intuitiva.
  • Pessoas com baixa representatividade, como mulheres (a maioria dos textos de sites aparecem flexionados apenas no gênero masculino, e em alguns casos mesmo que sejam direcionados para mulheres), gêneros não binários (que não são representados em formulários, sendo obrigados a preencher uma opção que não os representa) e pessoas transgêneros (os formulários de cadastro geralmente não possuem entrada para nome social, o que pode ser muitas vezes incômodoe gerar desconfortos). Nesses casos, é importante deixar o site mais usual não só para ter menor rejeição, mas também para tornar o site mais inclusivo.
  • Pessoas com limitação digital, como dificuldade para navegar, seja por serem idosos ou analfabetos digitais, e nesses casos o site deve ser o mais intuitivo e funcional possível, para que o indivíduo possa navegar no site de forma autônoma e sem grandes complicações.

Independente do público para qual o site será direcionado, é importante que o desenvolvedor tenha em mente quais as principais técnicas de design que precisará usar no momento do desenvolvimento da interface, vendo formas de tornar o site acessível, mas sem perder sua identidade visual.

Como saber se o seu site é inclusivo?

Só há uma forma de saber se o seu site é realmente acessível: testando. Após a implementação de acessibilidade no site, você pode testá-lo de diferentes formas, usando diferentes dispositivos, diferentes velocidades de internet, peça para pessoas da equipe testarem e também para o seu público-alvo.

Para saber mais sobre design acessível, clique aqui. Além disso, no site da Homem Máquina você pode falar diretamente com especialistas em UX design, que estão prontos para desenvolver um projeto exclusivo para seu site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar ×
Precisa de ajuda com seu site, sistema ou aplicativo?
Nós ajudamos negócios de todos os tamanhos com design, tecnologia e estratégia digital
Conheça melhor a Homem Máquina